Katavus

Alguns elementos da antiga Associação
A Associação KATAVUS é sucessora da antiga Associação Amigos do Palácio D. Chica. A nova denominação associativa, a revisão dos seus estatutos, o objecto e resultante escritura notarial foram resultado de um processo que tenta dar ênfase à defesa do ambiente e a promoção cultural de uma zona com características específicas e que a anterior designação associativa limitava.

Assim, apesar de o património, o ambiente e cultura terem constituído objectivos da instituição antecedente, houve necessidade de os redefinir e de adoptar uma designação institucional de âmbito mais abrangente para ações de intervenção que não apenas as conotadas ao palácio D’Chica e a Palmeira.A escolha da designação Katavus privilegia uma realidade ambiental de extraordinária relevância, nem sempre tratada positivamente por poderes e interesses: o rio Cávado. Sucedendo à designação de Celano do tempo de gregos e dos romanos entre nós, pelo menos, Catavo ou Cadavo poderá ter sido uma adopção do tempo de Suevos como palpita D. Rodrigo da Cunha em “Memórias para o Arcebispado de Braga” (Vol. I, p. 312). “Justa Avum” ou “Pobarum”, “Kata Avus”, naqueles tempos remotos, designaria o rio que fica junto ou depois do Ave.

Mapa da zona norte do concelho de Braga
No âmbito do seu objecto, Katavus define-se como uma associação, não desta ou de outra freguesia, mas uma Associação da Zona do Vale do Cávado a norte do concelho de Braga, que terá Palmeira, Adaúfe, Merelim, Dume, Navarra e outras tão importantes como estas, na sua atenção e base de trabalho.Para além de retomar a instituição fundada em Outubro de 1997 por Manuel António Pinheiro Vieira para a aquisição do Palácio D’Chica (a AAPD’Chica), não a deixando inactiva e no esquecimento, apesar das vicissitudes travessas conhecidas relativamente ao processo de aquisição do imóvel e envolventes, apostamos na colaboração positiva, nas sinergias, com as instituições autárquicas da zona do vale do Cávado acima definida e com movimentos de cidadãos, de que o Movimento Cívico de Defesa do Ribeiro (Palmeira-Adaúfe) é o mais paradigmático.

Desenvolveremos também, dentro desta dinâmica associativa, acções de apoio e conjuntas com outras organizações da cidade, do concelho, da região e nacionais que têm o ambiente, o património e a cultura no seu âmbito de trabalho.






Orgãos Sociais eleitos em 18/06/2011

Mesa da Assembleia Geral: 
Manuel António Pinheiro Vieira (Presidente), 
José Manuel Peixoto Lopes (Vice-presidente), 
Marco Paulo Lopes de Carvalho (secretário).


Direção:
Manuel Duarte Silva (Presidente),
João Gomes (Secretário)
Etelvina Dias Leite Nunes de Sá (Tesoureira).



Conselho Fiscal: 
António José Gomes de Oliveira (Presidente), 
Rui Machado Ferreira (Vogal), 
João Manuel Assunção Soares (Vogal).



Orgãos Sociais eleitos em 22/03/2014

Mesa da Assembleia Geral
Presidente: António José Gomes de Oliveira
Vice-Presidente: Manuel Fernandes Barbosa
Secretário: Hernâni Monteiro

Direção
Presidente: Manuel Duarte Silva
Secretário: João Gomes
Tesoureiro: Maria Etelvina Leite Nunes de Sá

Conselho Fiscal
Presidente: Manuel António Pinheiro Vieira
Vogal: João Manuel Soares
Vogal: Rui José Ferreira




Orgãos Sociais eleitos em 05/03/2016
Mesa da Assembleia Geral
Presidente: António José Gomes de Oliveira
Vice-Presidente: Manuel Fernandes Barbosa
Secretário: Hernâni Monteiro

Direção
Presidente: Manuel Duarte Silva
Secretário: João Gomes
Tesoureiro: Maria Etelvina Leite Nunes de Sá

Conselho Fiscal

Presidente: Manuel António Pinheiro Vieira
Vogal: João Manuel Soares
Vogal: Rui José Ferreira