terça-feira, 24 de novembro de 2015

Colaboração na limpeza de troço da Ribeira de Castro em Dume e Real

A Katavus participou n o dia 21 na limpeza da Ribeira de Castro, nas freguesias de Dume e Real. Esta iniciativa inseriu-se no projecto "Florestar Braga" organizado pela Câmara Municipal de Braga. A associação teve o privilégio de trabalhar com a Associação Amo Portugal - secção de Braga e outros simples mas importantes voluntários. A Judite Dias, a Ana Leite, a Alexandra Azevedo, Raquel Sousa, Paulo Araújo e o vereador Altino Bessa foram alguns dos elementos que puseram mãos à obra na limpeza da ribeira e como tal, contribuir para a nossa sustentabilidade ambiental.

Foto de KATAVUS - Associação Ambiental e Cultural.

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Katavus participa em debate sobre espaços de lazer e ambiente


O Presidente da direcção da Katavus, Manuel Duarte Silva, será um dos oradores de um debate organizado pela associação Braga Mais. O debate, que decorre no dia 14 de Outubro na Videoteca Municipal, contará com a presença também de Altino Bessa, Vereador do Ambiente da Câmara Municipal de Braga, de Fernando Américo do Núcleo da Quercus de Braga, de Vírginia Teles do Departamento de Geografia da Universidade do Minho e Martinha Rocha, engenheira ambiental e urbana. Este debate visa discutir quais os problemas e qual o futuro ambiental do concelho de Braga. A sessão é aberta ao público e tem início às 21:15H.

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Katavus organiza conferência sobre protecção do património

A Katavus organiza, no próximo dia 16 de Outubro, uma conferência subordinada ao tema "Como defender o património classificado?" Esta conferência conta com a participação do Técnico Superior da Direcção Regional da Cultura do Norte, Doutor David Ferreira. Segue-se a esta intervenção, o contributo do Doutor Francisco Sande lemos da ASPA - Associação para a Defesa, Estudo e Divulgação do Património Cultural e Natural. A moderação destas conferências e posterior debate estará a cargo da Dra. Etelvina Sá, da Katavus.
A entrada nesta conferência é livre e tem início pelas 14:30 no Auditório do Museu D. Diogo de Sousa.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Petição para a aquisição do Palácio D. Chica aprovada na Assembleia de Freguesia de Palmeira

A petição  endereçada à Assembleia de Freguesia de Palmeira com o intuito de aquisição do Palácio D. Chica pela Câmara Municipal de Braga, foi aprovada na última Assembleia de Freguesia de Palmeira. A reunião, realizada no dia 30 de Setembro de 2015, contou com o voto a favor do deputado da Cidadania em Movimento Por Palmeira e a abstenção dos 8 restantes deputados do Partido Socialista e da Coligação Juntos Por Braga.

Aqui fica o teor do documento colocado em votação:

Assunto: S. O. S. PELO  PalÁCIO D. Chica, João Ferreira do Rêgo
                                          OU CASTELO DE PALMEIRA
             

Petição

O Palácio de D. Chica marca indelevelmente a freguesia bracarense de Palmeira. A sua história pode apresentar-se deste modo.
Um senhor abastado local, contando com a sua fortuna e com a que passou a jorrar-lhe do exterior (Brasil), encomenda um projeto de uma habitação apalaçada a um arquiteto afamado, em meados da segunda década do século passado: Ernesto Korrodi. O arquiteto, que tanto tinha idealizado uma habitação nobre de província” para uma determinada burguesia triunfante nacional (projetos de 1897 e 1900), inspirado em fontes diversas desde a arte medieval à romântica, teve na encomenda de João José Ferreira do Rêgo a oportunidade de redesenhar e construir uma tão desejada quão soberba obra. Ela ergueu-se sobre um terreno que teve de ser reorganizado através de um acordo com o município, e tomou forma, colmatando-se nos exteriores com florestação exótica, jardins e grutas artificiais, entre os anos de 1915 e 1918/19.
Desavenças entre o jovem casal, de consanguinidade em terceiro e quarto graus, ele com a bafejada  herança de família, ela nascida no Estado de S. Paulo (Brasil), recém-órfã de pai (finais de 1912), com a herança paterna naquela cidade, ditaram a interrupção das obras sem que o palacete fosse terminado ainda em parte no exterior e nos seus não menos idealizados e nobres interiores . Cimeiro a um dos telhados frontal, o catavento perpetua garbosamente o ano de 1917, o frontão da lareira do hall o gótico anno domini

1919 e a padieira da entrada da cerca da Quinta da Mata em Semelhe, local onde João Ferreira do Rêgo passará a viver e a investir, o ano de 1919.
As vicitudes por que passou esta afamada edificação e sua distinta senhora são conhecidas de familiares, amigos, estudiosos e também dentro do “imperdoável luxo em face do horroroso quadro de analfabetismo que o país oferece” (afirmação de E. Korrodi, apesar de em circunstâncias outras). O palácio tem passado por diferentes donos privados, mas também foi da Junta de Freguesia local entre os anos de 1987 e 1998. Com uma infeliz deliberação da Assembleia de Freguesia no final do último mandato do ex-autarca Manuel Vieira e uma postura idêntica de uma parte maioritária dos autarcas que se lhe seguiram (eleitos a partir das autárquicas de dezembro de 1997), com a ainda recorrente e incompreensível falta de apoio municipal, o palacete deixou de se manter na posse da JF, voltando à posse de um novo proprietário privado, que atualmente o tem à venda.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                           
Após anos de esperas e de contrariedades dispensáveis, o edifício e sua (em tempos frondosa) mata foram finalmente classificados em 2013 como MIP - Monumento de Interesse Público, e, como tal, delimitado com ZEP – zona especial de proteção (Portaria nº 120/2013, de 8 de março).
Apesar dos anos, a solidez e a beleza do edificado saltam à vista desarmada a qualquer leigo, mas confirmado, por exemplo, na visita efetuada por uma arquiteta do Instituto Português do Património Cultural - Ministério da Cultura, a partir do exterior à propriedade (por razões de inacessibilidade), no ano de 1984: “constatei o interesse  neste exemplar, neo-gótico e de ecletismo típico do séc. XIX, sendo de crer que os materiais em que foi construído (“brasileiros”) deverão ser de excelente qualidade. Por outro lado, a localização justifica plenamente (e o Plano de Urbanização assim o indica) a sua utilização como equipamento público e zona verde a preservar. Para lá do interesse do imóvel a zona verde tem grande valor e deveria ser conservada como parque.”


O reconhecimento da importância deste edificado constituiu uma ação persistente dos executivos da Junta de Freguesia palmeirense liderados por Manuel Vieira (1977-1998) e o candidato de “Juntos por Braga” (nov.2001), Dr Carlos Alberto Pereira, tê-lo-ia para sede da Fundação Bracara Augusta se liderasse o município, por exemplo.
Cerca de meados dos anos 90, e na posse da Junta de Freguesia, mas cedida temporariamente em hipoteca e com renda a uma empresa de investimentos turísticos (Ipaltur), o imóvel foi objeto de conservação e recuperação no seu exterior e de obras para serviços no seu interior, apesar de discordâncias conhecidas. Com a falência desta empresa concessionada e da referida mudança nas cadeiras do poder autáquico local, a propriedade ficou na posse da Caixa Geral de Depósitos e posteriormente na de um privado que a adquiriu.
Por todas as razões civilizacionais que não serão entendíveis, o palácio, apesar de fechado, foi vandalizado no seu interior, esventrado em seus equipamentos e proteções, seus vidros amontoando-se granulosamente pelos corredores, seus telhados desavergonhadamente estopetados, numa tempestade que a corrida à sucata poderia explicar mas que facilmente poderá ser desmentida pelos indicadores remanescentes testemunhais. Seu equipamento em mobiliário e loiças, tido, dito e jurado como roubado por estranhos (!), tem sido visto por aí às escâncaras, publicamente, qual caso de polícia à espera de ser investigado e de novo levado ao veredito da justiça.
Na posse do atual proprietário, os motivos de preocupação com a sobrevivência deste ex-libris têm aumentado exponencialmente, por o ter deixado degradar a um grau inadmissível, que parece apostado em fazer tábua rasa da lei que lhe garante guarida (Lei de Bases do Património Cultural, nº 107/2001, de 8 de setembro), ou mesmo a afrontá-la.
Com o atual executivo municipal bracarense acalentamos a esperança de uma política abrangente para a preservação do património arquitetónico e paisagístico no concelho, que não pode ficar-se apenas pelas Sete Fontes,

pela ex- Fábrica Confiança, pelo Recolhimento de Santa Maria Madalena ou das Convertidas, entre outras.
Temos razões sobejas para pensar que este belíssimo edificado de Ernesto Korrodi deverá ser urgentemente reparado e protegido na sua cobertura, portas e janelas, e estabilizado pelo menos até melhores dias, como foi procedido pelo atual Executivo Camarário em relação ao edificado do Recolhimento das Convertidas.
O preço do imóvel pedido (cerca de dois milhões de euros), guindado pela especulação imobiliária em prejuízo de seu valor arquitetónico, histórico e classificativo, deverá ser equacionado justamente e, se necessário, vencido em prestações, como ocorreu com a aquisição do Theatro Circo. Em caso de dificuldade no acordo com o proprietário, porque se encontra em situação de degradação acelerada e de eventual colapso, deveria ser expropriado sem demora.
Deste modo, vimos solicitar ao Senhor Presidente e à Ex.ma Câmara Municipal de Braga a aquisição do centenário Palácio João Ferreira do Rego, mais conhecido por Palácio de D. Chica ou Castelo de Palmeira, classificado como monumento de interesse público – M.I.P., solicitando a todos os Senhores Deputados da Assembleia Municipal, da Assembleia da Freguesia de Palmeira e do Executivo desta todo o apoio para a  consecução desta aquisição.
Com os mais respeitosos cumprimentos

Palmeira – Braga, 20 de agosto de 2015

Pel’A Direção da Associação Ambiental e Cultural KATAVUS


/Manuel Duarte Silva/

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Câmara Municipal organiza "Aventuras pelo Ambiente" em Palmeira

O pelouro do Ambiente da Câmara Municipal juntamente com a Junta de Freguesia de Palmeira, vai levar a cabo uma caminhada no dia 12 de Setembro, sábado. O início será no Centro Cívico de Palmeira, pelas 9h30, terá a extensão de 7 km e, sendo circular, acabará no mesmo local.
As pessoas poderão inscrever-se através do correio eletrónico (ambiente@cm-braga.pt), facultando os seguintes dados: nome completo, data de nascimento, telemóvel e dados do CC/BI.

sábado, 22 de agosto de 2015

Actividade "caminhadas na Geira" fica adiada

O evento "caminhadas na Geira promovido pela Borealis em parceria com a Katavus neste fim-de-semana vai ser adiado devido à grande instabilidade meteorológica que se vai fazer sentir.
Para sábado e domingo são esperadas chuvas, que poderão ser fortes quer na tarde de sábado, quer na tarde de domingo, sendo que não é possível garantir as condições de segurança e conforto necessário. As previsões são agravadas pela orografia montanhosa e pela dificuldade frente de mau tempo que se aproxima da nossa região.
Brevemente as inscrições abrirão para nova data. A todos os visados, as nossas desculpas.

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Segunda e terceira etapas das "Caminhadas na Geira" realizam-se nos dias 22 e 23 de Agosto

No dia 22 de Agosto, a Katavus em parceria com a Borealis retomam as caminhadas na Geira ou Via Nova com mais duas etapas. Depois da ligação de Carrazedo (amares) a Braga, os caminhantes vão percorrer agora os trilhos que ligam Portela do Homem a Chamoim (Terras de Bouro) e, no dia 23, Chamoim a Amares (Paredes Secas)

Eis o plano da segunda etapa:



Nível de dificuldade - 03 moderado
Altitude máxima - 760 m
Desnível - 310 m
Distância caminhada - 22 km

Etapa 2 – Da Portela do Homem até Chamoim (Terras de Bouro)
Este dia on trekking inicia-se na fronteira, junto à Portela do Homem e percorre alguns locais emblemáticos do coração do Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG).
O percurso global, ligava as cidades de Braga (Bracara Augusta) e Astorga (Astúrica Augusta), na vizinha Espanha, num percurso que acumula cerca de 318 quilómetros (215 milhas), a segunda etapa das caminhadas da Geira 2015 percorre 22 desses quilómetros, onde destacamos alguns dos trechos mais bem preservados da via original, incluindo os famosos marcos miliários e outras construções milenares associadas à Geira.

O que incluímos:
•Um programa de trekking na Geira Romana;
•Acompanhamento pelos divertidos guias e monitores Borealis;
•Transporte em autocarro entre o ponto de final e início de cada etapa;
•Seguro de acidentes pessoais e responsabilidade civil.

Mais informações e inscrições - http://www.borealis.pt/geira-romana/

quinta-feira, 4 de junho de 2015

A Katavus associa-se à limpeza das margens do Cávado em Barcelos

A Katavus vai associar-se à Quercus - Braga na limpeza das margens de um troço do rio Càvado em Barcelos. Esta iniciativa conta ainda com a participação dos Amigos da Montanha, a Nornatural/Naturhouse e a Associação Social e Cultural de Sobreposta. Quem estiver interessado em voluntariar-se nesta jornada ambiental que assinala o dia Mundial do Ambiente no próximo sábado,dia 6, da parte da tarde (14h30-18h30), poderá inscrever-se através do seguinte link:
Este procedimento é fundamental para que se possa estar abrangido de seguro de acidentes. No final da limpeza está marcado um convívio com lanche incluído.

terça-feira, 19 de maio de 2015

KATAVUS e Borealis associam-se à Braga Romana - Reviver Bracara Augusta


"A Borealis e a KATAVUS organizam em parceria com os Municípios de Amares, Braga e Terras de Bouro um programa de caminhadas incomparável ao longo da milenar Geira Romana, desde a Portela do Homem até Braga em 3 etapas, ao longo de 3 dias.

A iniciativa, especialmente a primeira etapa, está integrada nas festividades da Braga Romana 2015, onde se recriam os primeiros tempos de vida da cidade de fundação Romana, com o mote “Reviver Bracara Augusta”.

Mais informações e inscrições - http://goo.gl/qV4XUn"




quinta-feira, 16 de abril de 2015

Abandono das escórias da Fábrica Recial levado ao Parlamento

A remoção destas escórias é uma reivindicação antiga desta associação. Esperemos que esta intervenção do deputado Altino Bessa tenha efeitos práticos. Trata-se de um problema ambiental e social relevante que afecta as populações de Palmeira e Dume há largos anos.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Katavus e Borealis promovem caminhadas através da geira romana

A Borealis e a KATAVUS organizam em parceria com os Municípios de Amares, Braga e Terras de Bouro um programa de caminhadas incomparável ao longo da milenar Geira Romana, desde a Portela do Homem até Braga em 3 etapas, ao longo de 3 dias.

A Geira ou Via Nova é por si só um monumento impressionante, um verdadeiro museu ao ar livre, com paisagens deslumbrantes e património histórico inigualável… esta é uma oportunidade única de recriar o percurso milenar que ligava as cidades de Bracara Augusta (Braga) e Asturica Augusta (Astorga) em território Português.


O percurso de 58 km será concretizado em 3 dias:

1ª etapa – dia 24 maio, de Amares (Caires) a Braga, por altura da Braga Romana;
2ª etapa – dia 22 agosto, de Portela do Homem a Chamoim (Terras de Bouro);
3ª etapa – dia 23 agosto, de Chamoim a Amares (Paredes Secas).

A iniciativa, especialmente a primeira etapa, está integrada nas festividades da Braga Romana 2015, onde se recriam os primeiros tempos de vida da cidade de fundação Romana, com o mote “Reviver Bracara Augusta”.




Etapa 1 – 24/05

Nível de dificuldade - 03 moderado
Altitude máxima - 235 m
Desnível - 310 m
Distância caminhada - 18 km

De Amares (Caires) até Braga, enquadrada nas festividades da Braga Romana.

“Reviver Bracara Augusta”, nada melhor do que chegar a Bracara Augusta recriando o percurso das Legiões Romanas que chegavam a Braga por altura da sua fundação, vamos ser recebidos pelo ambiente mágico da Braga Romana e viajar no tempo.
A saída será de Caires, em Amares e neste dia vamos cumprir a etapa de chegada a Braga pela Via Nova, a chegada será ao Rossio da Sé, onde seremos recebidos pela organização da Braga Romana 2015, terminando a nossa aventura junto ao Museu D. Diogo de Sousa.
Este percurso histórico de aproximação a Braga, contará com a preciosa interpretação histórica da KATAVUS e incluí alguns dos meandros naturais mais relevantes dos arredores de Braga, incluída ainda neste dia está a travessia do Rio Cávado em barco, com a colaboração dos Bombeiros Voluntários de Amares e dos Bombeiros Sapadores de Braga.

O que incluímos:
•Um programa de trekking na Geira Romana;
•Acompanhamento pelos divertidos guias e monitores Borealis;
•Transporte em autocarro entre o ponto de final e início de cada etapa;
•Seguro de acidentes pessoais e responsabilidade civil.

Inscrições e mais informações - http://www.borealis.pt/geira-romana/

segunda-feira, 23 de março de 2015

CIM Cávado promove Mesa Temática“AQUA Cávado – o rio que nos une” para comemorar o Dia Mundial da Água

« Para assinalar o Dia Mundial da Água, a Comunidade Intermunicipal do Cávado (CIM Cávado), a Agência de Energia do Cávado (AEC) e o Mosteiro de Tibães, com a parceria da Agere e das Águas do Noroeste, promovem no próximo dia 23, segunda-feira, no Mosteiro de Tibães, um seminário sob o tema “AQUA Cávado - o rio que nos une” com o objetivo de promover a reflexão sobre a importância da água no contexto dos recursos hídricos da nossa região.
Conscientes de que um dos maiores desafios do século XXI é o combate à escassez da água, a AEC e a CIM Cávado pretendem desafiar e sensibilizar as populações em geral para este objetivo, através do desenvolvimento de uma série de atividades enquadradas neste projeto, que terão início no Dia Mundial da Água e culminam no dia 01 de Outubro, com o Dia Nacional da Água.
Este conjunto de iniciativa no tema “AQUA Cávado - o rio que nos une” pretendem sensibilizar a população em geral para o bom uso dos rios e suas águas, identificar potencialidades e diagnosticar disfunções relacionadas com as actuais utilizações dos rios Cávado e Homem.
A sessão de abertura deste painel tem início pelas 15h00, e contará com a presença do Presidente do Conselho Intermunicipal do Cávado, Ricardo Rio e do Secretário Executivo da CIM Cávado, Luís Macedo, que irá proceder à apresentação do projeto “AQUA Cávado - O rio que nos une”.»




sábado, 21 de março de 2015

Agradecimento a quem ajudou a oxigenar Braga

KATAVUS - Associação Ambiental e Cultural vem por este meio agradecer a todos os voluntários da AMO Portugal e outros amigos do ambiente que, de forma entusiasta e bem disposta contribuíram para que um troço significativo do Ribeiro de Pinheirinho em Adaúfe e Palmeira fosse limpo de todo o género de materiais poluentes. Foi muito o lixo recolhido no leito deste ribeiro que ficou na berma da estrada para posteriormente ser recolhido pela AGERE. Neste âmbito, não poderíamos também de deixar uma palavra de particular apreço pela participação activa do presidente da Junta de Adaúfe, o sr. Agostinho Fernandes e pelo apoio fantástico dos responsáveis da Câmara Municipal de Braga corporizada, inclusive, com trabalho também no terreno do sr. Vereador Altino Bessa. O nosso muito obrigado!

segunda-feira, 16 de março de 2015

Oxigenar Braga 2015

Olá Voluntários, 

Estamos quase a chegar a mais um fim-de-semana diferente, voluntários pelo meio ambiente!

À semelhança do que sucedeu no ano transacto, o Município de Braga vai levar a cabo uma acção de florestação do Monte Picoto, que irá envolver as diversas entidades existentes em cada freguesia e Uniões de freguesias, Escolas e IPSS´s.

A iniciativa será desenvolvida em colaboração com a AMO Portugal: desafiamos todas as entidades a apanharem os resíduos sólidos urbanos (papel, plástico).
Serão realizadas, entre outras iniciativas, acções de plantação no Monte Picoto, na Sexta-feira, dia 20 de Março, destinadas às Escolas. No dia 21 de Março decorrerá uma acção semelhante mas direccionada para a população em geral, novamente no Picoto.

Programa Completo:

AMBIENTE, CULTURA, NATUREZA

Sexta-feira | 20 de Março

10h00 às 12h00 e 14h00 às 16h00
Biblioteca de Jardim dos Congregados – Oferta de Plantas

10h00 às 12h30
Visita ao Horto Municipal – Frossos. Inscrições através de ambiente@cm-braga.pt

LIMPEZA E PLANTAÇÃO DE ÁRVORES

14h30
Em colaborações com as Juntas e Uniões de Freguesia, envolvendo as escolas do Concelho. No Monte Picoto, com as escolas do centro da cidade.

DIA DA ÁRVORE E DA POESIA

Sábado | 21 de Março

10h00
Limpeza e plantação de árvores no Monte Picoto, envolvendo a população, Juntas e Uniões de Freguesia. Inscrições: ambiente@cm-braga.pt

14h30
Limpeza do Ribeiro do Pinheirinho em Palmeira / Adaúfe. No Palácio da Dona Chica, inscrições emambiente@cm-braga.pt

O ponto de encontro será junto à Estrada Nacional 101, em frente ao Palácio Dona Chica e depois serão encaminhados por colaboradores da AMO Braga, Câmara Municipal ou da Associação KATAVUS. 


15h00 às 19h00
Troca de Utilidades e Velharias na Urbanização do Pachancho, com limpeza e jardinagem de vizinhança.

AVENTURAS PELO AMBIENTE (Tema: água)

Domingo | 22 de Março

09h30
Visita às Sete Fontes. Ponto de Encontro na Junta de Freguesia de S. Victor, Largo Senhora-a-branca. Inscrições em ambiente@cm-braga.pt

Vamos lá?
Inscreve-te em

http://www.amoportugal.org/pt/local/concelho/0303
Ou na Câmara Municipal: ambiente@cm-braga.pt

Deixamos algumas recomendações:
- Levar boa disposição;

- Sachola pequena e/ou Colher de trolha e/ou Colher de Jardinagem e/ou Sachinho
- Saco Plástico ou de Pano para recolher sementes (bolotas)
- Reforço alimentar
- Roupa e calçado apropriado
- Casaco para a chuva

- Galochas, sobretudo para a Limpeza no Ribeirinho do Pinheirinho

Esperamos que se divirtam, tanto o quanto nós nos estamos já a divertir, somente com a organização desta ação!
Agradecemos o facto de revelarem vontade em participar, e um agradecimento especial a todos os que nos apoiam.

Estamos disponíveis para qualquer esclarecimento.

Eu vou, tu vais, ou vais ficar em casa?

A coordenação
Florestar Braga

domingo, 8 de março de 2015

Assembleia-Geral do dia 7 de Março de 2015

A Katavus reuniu no dia 7 de Março em Assembleia Geral ordinária onde foi aprovada documentação decorrente da gestão associativa como o plano de actividades e relatório de contas do ano transacto. Também foram apresentadas algumas actividades previstas para o corrente ano, das quais se destacam a participação na edição da Braga Romana 2015 e a comemoração do centenário do início da construção do Palácio D. Chica.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Katavus reúne em Assembleia Geral

A Katavus realiza no próximo dia 7 de Março de 2015 uma Assembleia Geral ordinária. A reunião que decorrerá nas instalações do Restaurante D. Cuca, em Palmeira, terá a seguinte ordem de trabalhos:
- Apresentação, discussão e votação dos relatórios de actividades e de contas de 2014;
- Apresentação, discussão e votação do plano de actividades para 2015;
- Outros assuntos.